Nutrição Comportamental

Florianópolis

Nutrição Comportamental

NUTRIÇÃO COMPORTAMENTAL

A Nutrição Comportamental é uma abordagem da Nutrição que não considera apenas o que
as pessoas comem, mas também como as pessoas comem, e os pensamentos e sentimentos
envolvidos no ato de comer. Dentro da Nutrição Comportamental, existem várias ferramentas que
são trabalhadas no consultório (mindful eating, teoria cognitivo comportamental aplicada a nutrição,
alimentação intuitiva, entrevista motivacional), e a principal ferramenta que eu utilizo é a
Alimentação Intuitiva.
A Alimentação Intuitiva, de maneira bastante resumida, é comer se guiando pelos sinais
fisiológicos do corpo: fome, saciedade e apetite. Todo ser humano nasce comendo intuitivamente,
mas muitos perdem essa capacidade à medida que vão recebendo influencias externas para se
alimentar. Portanto, o nutricionista comportamental que utiliza a alimentação intuitiva vai ajudar a
pessoa a se reconectar e a respeitar essa sabedoria interna do corpo. Apesar de parecer simples,
para que isso aconteça outras questões precisam ser trabalhadas: mentalidade de dieta (constante
classificação dos alimentos entre bons e ruins, que te traz culpa ao comer os alimentos “ruins”),
comer emocional (usar a comida para anestesiar sentimentos), insatisfação corporal e conexão com
o corpo (aprender a reconhecer fome, saciedade e apetite).
Benefícios da Nutrição Comportamental:
 Melhora a qualidade da alimentação, sem dietas e sem controle rígido;
 Promove mudanças duradouras de hábitos;
 Traz sensação de liberdade em relação aos alimentos;
 Entende e trabalha fatores que influenciam no peso;
 Diminui a confusão em relação as informações nutricionais, ensinando a fazer escolhas
informadas e inteligentes;
 Diminui compulsões e exageros alimentares;
 Diminui sensação de descontrole perto da comida;
 Diminui episódios de comer emocional (descontar ou anestesiar sentimentos com a
comida);
 Resolve a obsessão e o desejo excessivo por certos alimentos;
Para quem serve o acompanhamento?
 Adolescentes, adultos e idosos que não dependam de outras pessoas para se alimentar e
que tenham alguma das características abaixo:
o Pessoas que sentem culpa, medo ou vergonha ao comer;
o Pessoas que sintam descontrole com alguns alimentos ou que se sentem obsessivas
por eles;
o Pessoas que tenham insatisfação corporal;
o Pessoas que comem de forma emocional com frequência;
o Pessoas que não sabem identificar ou não conseguem respeitar os sinais de fome e
saciedade;
o Pessoas que não sabem o que comer, ficam perdidas com a quantidade de
informações disponíveis sobre nutrição;
o Pessoas que desejam melhorar a qualidade da alimentação sem dietas;

Amanda Brognoli Domini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat