O que pode fazer a Psicanálise?

Florianópolis

O que pode fazer a Psicanálise?

O paciente nos relata a história mais íntima de sua vida, por vezes nos conta de um passado que não passou, reproduzindo-a de uma maneira muito tangível, como se estivesse acontecendo. Não se trata de recordar coisas do passado mas de um passado que não passou e que está atualizado nas relações atuais. Com a presença do analista, memórias podem ser recordadas e também  inscritas. A psicanálise entende o ser humano sendo uma teia de representações, desde Freud (1900) e Lacan(1964) como um rede dos significantes. A partir do encontro com o analista o sujeito que sofre, ao contar esse sofrimento pode vir a se contar, a se implicar , elaborar e se apropriar de sua história, e será possível criar novas possibilidades de vir a ser e existir como desejante  no laço social. Pois como nos diz Freud (1917) “o sintoma tem a ver com a vida de quem os produz. Freud, em Mal-estar na civilização (1929), afirma que a fonte da infelicidade e o mal- estar nos humanos advem : da fragilidade e do sofrimento próprio do corpo; do mundo externo e das forças da natureza; e das insatisfações ou da violência desencadeadas pelas relações com os outros. Deste modo, podemos entender que mal estar são as oscilações que acomentem todos os seres humanos durante a sua vida, são as sensações incômodas que surgem e desaparecem  constantemente. Sintoma é um conflito expresso na linguagem, aquilo que se repete, essa repetição além de ser por onde o sujeito goza, produz um sofrimento.

Na clínica psicanalítica nos perguntamos sobre o saber inconsciente, em quê cadeia de repetições o inconsciente está inserido e qual a montagem psíquica inscrita que aparece como forma de sofrimento e angústia.

Lacan (1998  apud Freud 1912) diz: “o que não pode ser rememorado se repete na conduta”(p.124).  Essa conduta para se revelar o que ela repete, será entregue a reconstrução com a figura do analista.

Reconstrução no sentindo que, na presença do analista, retorna-se memórias das quais uma a uma o paciente vai dar destino a elas, em alguns casos se trata através da transferencia, não apenas de lembrar mas inscrever uma memória. 

Na clínica psicanalítica nosso cuidado é com a palavra. A potência de dar um destino a ela. Responsabilizar-se com ela e com isso responsabilizar quem a nós dirige a palavra. A psicanálise propõe que o sujeito possa se experimentar no exercico da fala, de falar de si, da suas dores, a partir do que   e das reverberações que acometem o seu corpo.

Caliandra Naiara Maiochi

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *