HÉRNIA DE DISCO

Florianópolis

HÉRNIA DE DISCO

HÉRNIA DE DISCO
Você sabia que cerca de 90% das hérnias discais podem ser reabsorvidas com TRATAMENTO CONSERVADOR em até 6 meses?
Dessa forma, uma avaliação clínica detalhada, associada a educação em saúde deve ser implementada. A cirurgia de coluna tem seu papel, mas é a MINORIA dos casos e deve ser muito bem INDICADA!
A hérnia de disco acomete cerca de 2 a 3% da população mundial, com idades superiores a 35 anos. A hérnia discal lombar entre a quarta e quinta vértebras lombares (L4-L5) e a quinta vértebra lombar e a primeira vértebra sacral (L5–S1) são as regiões de mais frequente acometimento.
Como o nervo ciático emerge entre essas vértebras, ele é comumente afetado nos casos de hérnia discal. A origem da dor ciática é provavelmente multifatorial, envolvendo estímulo mecânico das terminações nervosas, compressão direta da raiz nervosa (com ou sem isquemia) e uma série de fenômenos inflamatórios induzidos pelo núcleo extruso.

VISÃO OSTEOPÁTICA
A visão Osteopática considera que a hérnia de disco, por ser uma doença, é um efeito e não uma causa. Desequilíbrios na relação do homem com o meio em que vive, sendo ele físico, nutricional, tóxico e perceptivo, podem favorecer a perda da homeostase do sistema e, por conseguinte, a formação das doenças.
Sendo assim, a hérnia discal é uma região que apresenta uma hiperfunção, ou seja, recebe forças anormais contrárias ou apresenta uma hipermobilidade.
A Osteopatia, por sua vez, além de diagnosticar o problema corretamente, demonstra eficácia no tratamento da condição, corrigindo as disfunções que podem interferir no processo de instalação da doença, e devolvendo funcionalidade dos segmentos hipomóveis.

 

Autor: Felpe Luis Marcondes – Fisioterapeuta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *